Governo brasileiro pode começar a cobrar devedores por WhatsApp e Facebook

Medida será apresentada junto com a nova Reforma da Previdência, e prevê a cobrança de dívidas através de redes sociais como Facebook e WhatsApp
Como forma de receber o pagamento das dívidas dos inadimplentes, o governo vai solicitar autorização do Congresso para cobrar os devedores através de aplicativos de mensagem e redes sociais, como o Facebook e o WhatsApp. O projeto integra o pacote da Reforma da Previdência e tem como objetivo recuperar recursos que entraram na Dívida Geral da União. A previsão é de que, já na próxima semana, o projeto seja apresentado ao Congresso.

Caso seja aceito, o governo poderá economizar em recursos para cobrança de dívidas ativas e fazer com que os devedores fiquem com seu nome limpo da melhor forma possível. A ideia do governo é que cobranças de dívidas virtuais se tornem um hábito e possam ser usadas para diversos tipos de dívidas. Hoje em dia, a cobrança de débitos é feita pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) através de cartas e e-mails.

Cuidados com o meio digital

Como bem sabemos, a Internet pode ser bem segura se tomados os devidos cuidados. Segundo o próprio governo, as cobranças seguirão diversos protocolos de segurança para evitar que os contribuintes sejam vítimas de golpes ou fraudes. Segundo a PGFN, um controle rígido de validação de pagamentos será utilizado para evitar problemas de segurança ao órgão e ao contribuinte.

Dívidas pendentes há muito tempo

Outra informação divulgada é que dívidas com mais de 10 anos terão condições especiais para a quitação dos débitos. Isso porque, esses valores estariam caminhando para prescrição. Assim, uma proposta será feita ao devedor para que ele possa realizar o pagamento do que deve.

Muitas vezes, um dos maiores empecilhos para a quitação desses débitos antigos é a alta taxa de juros empregada, o que torna difícil para quem está inadimplente quitar uma dívida.

Bloqueio e penhora de bens

Um trecho do projeto permite o bloqueio de bens de devedores, mesmo que um processo administrativo esteja em andamento. Isso irá ocorrer caso seja constatado que o bem está sendo esvaziado, por exemplo, para a dívida não ser paga.

A venda de bens penhorados também será facilitada, isso porque, muitas vezes, esses itens ficam apreendidos e ficando velhos/ obsoletos enquanto o processo de comercialização não é aberto.

E aí, o que você acha desse projeto?

Fonte: Olhar Digital | 14/03/2019

Cotações e Índices

Moedas - 17/07/2019 13:21:03
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,761
  • 3,761
  • Paralelo
  • 3,730
  • 3,920
  • Turismo
  • 3,740
  • 3,960
  • Euro
  • 4,223
  • 4,225
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,810
  • 3,811
  • Libra
  • 4,677
  • 4,678
  • Ouro
  • 169,830
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Agendas Tributárias

  • 19/Julho/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte.
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras.
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.
  • Informe de Rendimentos Financeiros - PJ
  • INSS | Previdência Social.

Enquete

O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Clientes & Parceiros

Rua Gaspar Fernandes, 67, Vila Monumento - São Paulo/SP
CEP: 01549-000 | Fone: 11. 2063 5120 | apoio@apoiocontabilidade.com.br
Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )


Aviso Importante:
‣ Informamos a quem possa interessar e para todo e qualquer fim, que nossa empresa não emite avisos de cobrança, avisos de serviço de proteção ao crédito ou qualquer outro tipo de aviso relacionado ao Serasa, SPC ou qualquer outro órgão de controle de proteção ao crédito. Informamos também que sabemos da existência de empresas com o nome semelhante ao nosso e que prestam serviços como os descritos acima, sendo assim, não cabe a nossa empresa a responsabilidade referente a qualquer notificação de serviços de proteção ao credito. Att.